domingo, 3 de abril de 2011

Nova modalidade de penhor

Nossa, faz tempo que eu não posto aqui.

Eu estava pensando esses dias em uma coisa muito estranha: uma modalidade de penhor nova.
É uma modalidade extremamente boa de penhor, em que saem beneficiados ambos o credor e o devedor, e veja só por quê: o objeto penhorado é DINHEIRO VIVO!

Mas daí, você lendo isto, diria: mas por que, Raphael, então o cara que vai penhorar já não usa o próprio dinheiro vivo??? Porque este dinheiro vivo tem uma propriedade especial: são notas flor de estampa de REAL, e o devedor é um colecionador de notas de real.

Aí está o único problema: esta modalidade de penhor só se aplica com sentido aos colecionadores de notas de real.... que são pouquíssimos.... e vamos e venhamos, você há de concordar comigo que quem coleciona notas de real não costuma ter problemas financeiros, é ou não é?

Como se desfazer de notas com assinaturas já raras e etc, usando-os pelo valor facial, seria um SACRILÉGIO... ele penhora... dá como garantia o dinheiro e pega o valor facial como empréstimo de alguém que tenha esse dinheiro liberado e não lhe faça falta por um tempo. Já o credor vai receber esse dinheiro e deverá cuidá-lo muito bem, para que jamais seja usado, jamais seja dobrado ou amassado, e muito menos perdido!

Assim todos ficam felizes.... na pior das hipóteses, se o devedor não tiver como pagar... ele libera a utilização do dinheiro da coleção para o credor, mas é claro, esse credor que não seja idiota de usar de qualquer jeito o dinheiro, pois além de tudo ele tem a grande possibilidade de lucrar, vendendo as notas para colecionadores de cédulas de real!

E quanto às taxas de juros? São combinadas entre ambas as partes, ora.

Mais uma coisa legitimamente escalafobética para este blog.
E eu acho que menos da metade das pessoas que leu entendeu este post.

sábado, 22 de janeiro de 2011

O Cronograma

Quando eu estava na escola e, mais ainda, na universidade, aprendi muito sobre o tal "cronograma". O que é o cronograma, basicamente, todo mundo sabe: é um gráfico no qual você coloca as atividades e as datas em que elas serão cumpridas em um determinado projeto, e tenta segui-las. Mas quase nunca se as segue.
Eu odiava cronograma: um, porque fazer cronograma é um saco, e dois, porque envolvia tarefas a serem feitas e que nunca davam certo com o cronograma. Depois tinha que pegar aquele cronograma e detalhá-lo para que ficasse mais entendível, senão também ele perdia a função.

Enfim, uma coisa chata mas importante.

Eu me dei conta da necessidade e do prazer de montar um cronograma agora no começo deste ano, pois tinha que organizar as atividades do meu mestrado. Este ano vai ser pesado, porque vou ter disciplina a mais, além dos trabalhos paralelos, e a pesquisa envolve uma carga horária grande em laboratório, preparando os resultados para um congresso que vai ter em maio. Assim, se não organizar as atividades para ter ideia se vamos poder realizá-las em tempo, fica um Deus-nos-acuda.

Ainda bem que eu tive a ideia de fazer um cronograma no começo do ano, senão, no final do semestre, com tudo em cima da hora, não há cronograma que resolva os atrasos acumulados! E fica tudo uma loucurada.
Sei que muito da loucurada de um mestrado é inerente a ele, coisas dão errado, ideias vão por água abaixo antes de acontecer, equipamento estraga, etc. Além disso, o que não é inerente mas é vicioso também atrapalha, como professor-orientador mudando de opinião, técnico de lab que não ajuda, a gente que é preguiçoso e vai deixando, etc. Tudo isso são inimigos do cronograma.

Mas eu fiz um cronograma com boas folgas, bons encaixes, e com ajuda de três pessoas brilhantes que estão na minha equipe vai sair tudo maravilha, sem dúvida! Joguei um monte de cores para ele ficar escalafobético e atraente. E peguei um trecho dele e fiz um novo cronograma detalhadíssimo desse trecho, é claro, com os pé no chão. Nada mirabolante e impossível de executar. Mas que o que está ali precisa sair, ah é, precisa.

Veja abaixo um snapshot do meu cronograma principal: parece a bandeira do movimento gay. hahaha

Falow!